20110814 - Domingo 14 de agosto de 2011

Con. Dario Bevilacqua

Evangelho – Mt 15,21-28

Do Evangelho que neste 20º. domingo do Tempo Comum, é proclamado em nossas celebrações eucarísticas. (Mateus capitulo 15, versículos de 21 a 28)

Jesus foi para a região de Tiro e Sidônia. Eis que uma mulher cananéia, vindo daquela região, pôs-se a gritar:
‘Senhor, filho de Davi, tem piedade de mim: minha filha está cruelmente atormentada por um demônio!’Mas, Jesus não lhe respondeu palavra alguma. Então seus discípulos aproximaram-se e lhe pediram: ‘Manda embora essa mulher, pois ela vem gritando atrás de nós.’ Jesus respondeu: ‘Eu fui enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel.’ Mas, a mulher, aproximando-se, prostrou-se diante de Jesus, e começou a implorar: ‘Senhor, socorre-me!’ Jesus lhe disse: ‘Não fica bem tirar o pão dos filhos para jogá-lo aos cachorrinhos.’ A mulher insistiu: ‘É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comemas migalhas que caem da mesa de seus donos!’ Diante disso, Jesus lhe disse: ‘Mulher, grande é a tua fé! Seja feito como tu queres!’ E desde aquele momento sua filha ficou curada.

Comentario

Uma mulher pagã vai ao encontro de Jesus pedindo milagre. É uma mãe pedindo compaixão para com sua filha doente, porque ela tem certeza de que Deus quer uma vida digna para todos os seus filhos e filhas. Jesus se cala. Quando quebra o silêncio é para categoricamente se recusar a ouvir aquela mulher. Sua recusa é firme e se baseia no seu desejo de ser fiel à missão recebida do Pai: “Eu só fui enviado para as ovelhas desgarradas da casa de Israel. ” A mulher não desiste, não desanima e manifesta sua profunda fé. Jesus reage surpreso ante a fé perseverante daquela mãe e atende o seu pedido manifestando que o amor de Deus não conhece fronteiras, e atender a essa mulher não o afasta da vontade do Pai. Nós discípulos de Jesus temos que aprender que todos os que sofrem devem receber a manifestação do amor de Deus independentemente de sua convicção religiosa, de sua nacionalidade, ou de qualquer outra característica diferente da nossa. Jesus não é propriedade dos cristãos. Seu amor, sua luz e seu poder de cura são para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *