20110821 - Domingo 21 de agosto de 2011

Con. Dario Bevilacqua

Do Evangelho que neste domingo, festa da Assunção de Nossa Senhora, é proclamado em nossas celebrações eucarísticas: ( Lucas capítulo 1º. versículos 39 a 56)

Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel.
Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou:”Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu”. Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, pois, ele viu a pequenez de sua serva, eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu nome! Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos. Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos despediu, sem nada, os ricos. Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre”. Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

Comentário

Comemoramos, hoje, a festa da Assunção de Nossa Senhora aos céus. É a festa da esperança da vida que vence as forças da morte. Lucas, no evangelho de hoje, descreve a visita de Maria à sua prima Isabel em termos de festa e alegria Os cantos de agradecimentos e de louvor de Isabel e de Maria interpretam não somente os sentimentos dessas duas mães, fecundas por graça, mas também a alma profunda de toda a humanidade renovada. Esta presença do Senhor no meio do seu povo o sustenta em seu caminho e no seu combate. Maria, por primeiro, foi assunta por graça ao céu em alma e corpo, na integridade da sua pessoa, superando os laços da morte, a exemplo e em solidariedade a seu filho, Jesus ressuscitado. Ela nos antecipou ao chegar à meta; tornou-se, assim, sinal certo do caminho a percorrer e do objetivo a alcançar. Todos os que são de Cristo vencem o mal, e suas consequencias. Assim a Mãe de Jesus venceu sempre desde sua concepção o pecado e é a primeira, depois de seu Filho Jesus, a vencer a morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *